9.20.2006

O que descobri hoje

E eu que sempre acreditei que tinha tudo de latina enganei-me redondamente.Porque hoje descobri que sou menos mediterranica que as italianas de sangue a ferver que trabalham comigo. Que me faltam tracos fisicos graves que me apontam para o norte da Europa. Que, apesar de nao gostar de frio, sou mais guisados que saladinhas. Isto de fazer Contacto pode resultar em revelacoes bombasticas. Pai, Mae???

9.17.2006

Elefantes

1

2

3

4

Hoje fui ao Zoo de Shanghai. Toda a atitude é completamente diferente. Num dia lindíssimo,valeu bastante pelos enormes espaços verdes, pelo Panda vermelho (que o Zoo de Lisboa também tem, oferecido há 7 anos pela cidade de Pequim) e por,pela primeira vez, ter subido a um elefante.
Como hei-de colocar a questão. Subir a um elefante requer preparação mental, roupa suja e equilíbrio. E se fores ocidental aquele sorriso amarelo para as máquinas digitais chinesas presentes em campo. «Sim, estou a adorar». «Subir a elefantes faz parte da minha vida». «A vossa terra é linda». «Quero descer!».

Mariza

Um concerto da Mariza, especialmente depois de 7 meses cá, é indiscritível. É emocionante ter uma presença daquelas a cantar na nossa língua, sobre a minha Lisboa e a deixar de rastos chineses que nunca sequer terão a noção de perceber o que aquelas palavras representam. E choraram.E bateram palmas de pé até que os músicos voltassem.E esperaram por ela cá fora para o autógrafo.
Ao que parece houve um filme chinês, "Isabella" ,que ganhou o Leão de Ouro para Melhor Banda Sonora que foi um sucesso absoluto por cá." Ó Gente da Minha Terra" era a música principal.Quando a Mariza a começou a cantar houve um grito generalizado vindo de um grupo de teenagers que estava ao meu lado esquerdo.
Mas o melhor do concerto foi, definitivamente, o Júlio a gritar "És lienndaa!". Até os músicos pararam para rir. É que o nosso amigo não só tem um sotaque especial de Paredes (perto de Penafiel) como afortunadamente nasceu com os decibeis alterados, e assim a mensagem chegou a todo o auditório. Já o Roger (Rodrigo) lançou na apresentação do "Meu fado meu" um "Ó Mariza se tens um fado já é teu!". Um clássico.
Acreditem que é diva.

9.15.2006

Jantar de Domingo

Em Xangai andamos quase sempre em grupo. É inevitável. Porque embora tenhamos muitos estrangeiros amigos, somos já mais de 20 jovens portugueses, do outro lado do mundo. Acabámos por,logo nas primeiras semanas, criar a nossa rede aqui. Que está farta de crescer!Tive muita sorte. É um grupo eclético onde há sempre espaço para mais um, para os amigos dos amigos, para os pais dos amigos, para os conhecidos, para as namoradas e namorados,irmãos. E a prova que temos muita conversa e borga pela frente, é que todas as semanas inventamos pretextos para jantarmos todos juntos. Como se não bastasse, enquanto estamos no trabalho e não podemos falar, trocamos tudo pela corrente de mails habilmente intitulada de "Xangaituga", com direito a relatos de bola, inquéritos,conspirações para festas surpresas,prendas de anos,etc. As bocas foleiras são fundamentais para desanuviar do trabalho.
Pois esta semana o pretexto do jantar era fondue.
Para terem uma ideia, aqui ficam algumas fotos, também da Lu, para continuar a abusar...eu sei!

9.14.2006

Mau Maria

Acabei de chegar da segunda visita ao hospital desde que cá estou.
Fui almoçar com os Bizvisinhos (meaning: pessoal do coração que está na mui sui generis empresa Bizvision, meaning: Rodrigo,João e Luís- André não estava) e a meio do copo de sumo de laranja começo a sentir o meu lábio a inchar. E depois veio um vermelhão geral na cara, o olho direito a fechar e para terminar em beleza, uma insuficiênciazinha respiratória.
Tentei ignorar. Acabei o almoço e fui de novo para o atelier, que de alergias percebo eu e isto já passa.
Chego ao atelier e o primeiro e último comentário que oiço é um elegante "YOU LOOK GOD DAMN BAD!". E estava. Ala para o hospital, com uma colega.
Diagnóstico feito: reacção alimentar alérgica grave.
Tratamento imediato: uma hora de injecção intravenosa de cortisona género "toma,toma,escusavas de ouvir esta".
Resultado final: uma enorme pedrada, com direiro a lentidão de fala e reacção motora tardia.
Agora é Zyrtec outra vez.

9.13.2006

Bem sei

Bem sei que ao colocar esta foto aqui, vou deixar pasmados os amigos que melhor me conhecem.
Mas a Lu antes de partir,deixou no meu desktop esta foto e decidi abusar.
Para que tenham uma pequena noção do conceito "transportar" em Xangai.

9.12.2006

Quem manda

Mas quem é que me manda ir a aulas de ioga em chinês. Que mania... Não pesquei nada...

9.10.2006

cliquem

Lógica

Acho que me sinto mais inteligente quando encontro uma lógica nas coisas.Quando juntando os pontos percebo um padrão que os une e ,com isso, sei qual foi o ponto seguinte. Principalmente preciso dessa lógica porque não me posso apoiar na minha memória, que é fraca, nem na minha ligação à terra, porque regra geral vivo a 5cm do chão,distraída.
Isto para justificar a minha necessidade de lógica.
Quando, há 7 meses, comecei a trabalhar em Xangai pensava, na minha inocência, que a lógica de trabalho a usar, seria semelhante à que até aqui usava. Ou seja, uso um certo isolamento onde há certas pontes térmicas, uso uma certa madeira onde há água, uso uma certa cobertura onde chove mais, e por aí vai.Agradeço pela Arquitectura gozar dessa propriedade que me permite seguir esta profissão. Não podia ser historiadora. Nem atriz. A minha memória atraiçoar-me-ia.
Qual não é o meu espanto quando me apercebo que a coerência na China, não se sobrepõe nem à superstição, nem ao tido como certo. As coisas são, na sua maioria atenção, porque são.
Tantas e tantas vezes por dia pergunto porque é assim tal coisa assim, e a resposta é "Porque sim". E lembro-me imediatamente da minha Miss Teresinha, a primeira e a mais marcante professora que tive na vida, a dizer "Oh Guidinha, «Porque sim» não é resposta".
Se vierem a um restaurante em Xangai e tiverem um menu com A+B+C, mas são alérgicos ao C e querem que venha A+B+B, não desesperem. Enfrentem a velha guarda de pensamento chinesa como uma forma de vida.Usem os vossos olhos para vos protegerem da pasmada admiração local, ao quererem trocar as regras.Contem até dez quando a Xiaojie vos tentar explicar que os noddles só vêm com dumplings e chá. Insistam. Percebam porquê. Respirem fundo.É preciso dar-lhes algum tempo para verem além do aparente.Além da regra.
Tenham calma,é só a China a dar de si.

9.01.2006

RISCO

(ler post "O novo passatempo 'Shanghaiense")