7.20.2006

Larry Darrell

"The sharp edge of a razor is difficult to pass over; thus the wise say the path to Salvation is hard. "Katha-Upanishad
(epigrafo de Somerset Maugham)

Por muito estranho que vos pareca , na sua essencia,sou Larry, o personagem principal de "O Fio da Navalha", de Somerset Maugham. Eu e, creio, todos os contactos espalhados pelo mundo. Podendo estar errada,chego a pensar que, excepto raras excepcoes, este livro se aplica a quase todas as experiencias contacteantes.

O livro conta a historia veridica de um americano que o proprio Maugham conheceu, Larry Darrell, que volta a Chicago depois da sua traumatica experiencia na Primeira Guerra Mundial e declina a participacao convencional activa na sociedade americana. Parte para Paris, noivo de Isabel Bradley, mas a vida da uma volta, e ele uma volta a vida, na descoberta espiritual, da religiao, da cultura, do humanismo e principalmente da raiz de tudo o que esta para la do seguimento normal da experiencia empirica.

< -Pois bem, pensei em comecar por Paris. Nao conheco ali ninguem. Nao haveria ninguem que se metesse na minha vida. Fui diversas vezes a Paris, quando de licenca. Nao sei porque, mas tenho a impressao de que, ali, tudo o que esta confuso no meu espirito, se aclarara. E um lugar engracado, a gente tem a impressao de que, ali, podera analisar a fundo os proprios sentimentos. Creio que assim talvez chegue a saber o caminho que devo tomar.

- E que acontecera, se nao chegares a saber?

Ele riu-se

- Entao recuperarei o proverbial bom-senso americano, darei a experiencia por mal sucedida e voltarei a Chicago, aceitando o emprego que conseguir arranjar. >

Dez anos mais tarde tinha viajado o mundo...

7.18.2006

Foi Assim

Roubaram-me a bicicleta...

Mano

Desculpa la ter-te acordado naquele dia. Nao contei com a diferenca horaria Barcelona-Xangai. Sempre encontrei a loja de DVD que tu achaste na minha rua, que e uma avenida. E muito boa, tinhas razao. Mas ainda nao encontramos o "4 quartos".
Foi bom demais ter ca alguem que me conhece desde o meu primeiro dia de vida. Obrigada mano.

Vermelho, Branco, Prata

Wynn Win Guimas Julio Guida+Chinesa Guida Martim+ Guimas Martim
Tanghui
Sabado foi a grande noite da luz vermelha. E branca. E prata.Fomos a dois sitios completamente novos. Para variar do Bar Rouge, Dragon, Windows,...
Primeiro o Tanghui. Um barzinho mais para o europeu que para o chines. Tres artistas, dois na guitarra e um na bateria, a dar um baile de flamenco a alta velocidade. Altas vibracoes debaixo da luz vermelha. Isto no primeiro e segundo andar com mezanine. No terceiro e quarto outra musica, com camas gigantes redondas, rodeadas de cortinas translucidas...com nivel.
Depois desta introducao fomos para o Wynn Win. Uma disco novinha em folha, tipo Star Trek super chique. Em branco e prata. Um enorme espaco aberto com entrada no quinto andar do Plaza 66, um dos edificios mais "in" de Xangai. Varios patamares a diferentes alturas, praticamente so chineses, tudo a jogar dados ao ritmo do Dj portugues que nessa noite passava musica. Anda numa tour pela Asia. Ficou espantado de ver tanto portugues ali.Na casa de banho as portas eram de vidro, ate ao momento em que se girava o trinco e saia um gas que a tornava num branco translucido.
Grande, grande noite.

7.14.2006

Mr.Zhou

Aqui a Miss Xangai mudou de departamento. Esta agora encarregue de garantir que um certo projecto de arquitectura desenhado em Italia, e fielmente construido em Xangai.
Os arquitectos italianos autores do projecto deixaram a China hoje, depois de tres intensos dias de reunioes, entre nos, e com o cliente multimilionario. E e sobre este cliente que vos quero falar.
A mansao de 2000 metros quadrados, sera a sua quarta na cidade. E mais um brinquedo novo que permitir-lhe-a mostrar o seu lado internacional e moderno ao convidar personalidades chinesas para ali ficarem hospedadas. Mas, ao contrario do que possa parecer, e a pessoa mais humilde que conheci.
Filho de pauperrimos agricultores rurais, construiu uma tipica historia de sucesso chinesa e, depois de comecar apenas com uma simples maquina singer em quinta mao, tem agora um imperio de 1600 lojas espalhadas pelo pais. Digamos que a Metersbonwe e a Zara ca do sitio.
Nas reunioes que tive com ele, raramente esteve atento e, numa sala recheada dos seus conselheiros de design da marca, sentados a uma mesa de 30 metros com canetas Metersbonwe, agua Metersbonwe, lencos de mesa Metersbonwe, sorriu sempre, falou pouco mas foi em todo o tempo bastante mimico e demasiado expansivo para chines.
Mr.Zhou nasceu numa aldeia no meio das montanhas. Daqueles lugares em que sao precisos 3 dias para la chegar e mais 3 para de la sair. Quando comecou a ficar rico, muito rico, decidiu que nunca contaria aos pais a dimensao da sua riqueza. Porque os acha mais felizes na sua vida assim, do que cobertos de Dior e deslocados do seu habitat natural. Contou-lhes apenas que agora nao os poderia ver tantas vezes e que nunca lhes faltaria nada. Convenhamos que nao tem tempo nenhum para eles. Mas o tempo faz-se e, mais uma vez sem lhes contar nada, construiu uma auto-estrada que fica escondida por detras da montanha onde moram e que os pais nao conseguem ver.
Estavamos sentados a almocar na mesa mais rica em que estive, longe de qualquer proporcao portuguesa e de qualquer realidade que tenha conhecido antes, e em chines sussura baixinho para a tradutora. " Acabei de ter uma ideia. Preciso de ver mais vezes os meus pais. Quero construir um heliporto por tras da montanha".

7.11.2006

Como Prometido

Tal como prometido aqui fica mais uma foto nossa, 4 anos depois da primeira visita em Espanha. Agora a China, amanha Bora Bora, Sydney, Quenia, Nova Iorque,...
Foi muito bom ter-vos por ca maninha, Joaozito,Magui!

7.10.2006

Ora Bem

Ora bem, não ganhámos.
É uma realidade. E eu digo, "não ganhámos" não apenas porque não vencemos os dois últimos jogos. Meço a nossa derrota pela ausência de chineses a suicidarem-se no dia seguinte. Eu até adorei vêr-nos a jogar, especialmente no jogo contra a Alemanha. E estava à espera de ler no Shanghai Daily, que alguém se tivesse atirado da janela ou, no mínimo, esperava um ataque cardíaco e em última hipótese, um AVC.
Nada disso, meus amigos.Triste muito triste.
Estas são as imagens que me ficam na memória, deste último mês.

7.05.2006

A revolta da Lingua-Mae

A lingua chinesa e muito directa. A gramatica e simples, e andar com rodeios quando se fala chines, e perder tempo e a atencao deles. Aborrece-os.
Eu gosto da China
Wo( Eu) xihuan(gosto) Zhongguo (China)
Mesmo se pegarmos na palavra China ela quer dizer Zhong (meio) e guo (pais). Ou seja, numa evidencia ao gosto chines como expliquei ha uns dias atras, "o pais que esta ao meio". Para que inventar uma palavra "China"? O que quer dizer C-h-i-n-a?Porque havemos de inventar uma coisa que pode ser obvia?
E se repararem na frase de cima, o "da" de "da China" desapareceu. Para que que ele la esta?
Estava a ouvir o Forum TSF agora mesmo.
Eu detesto Foruns de radio. Sejam eles quais forem. Acho triste a profissao do jornalista que apresenta " Agora, Jose Dias Santos,guarda nocturno, o que acha do defice economico com especial incidencia nas industrias tecnico-biologicas?" E acho triste porque acredito que o apresentador nao tenha estado a estudar anos a fio para fazer um trabalho que uma maquina pode fazer. Ou o proprio Jose Dias Santos. " Ola, sou o Jose Dias Santos, sou guarda nocturno, e agora vou falar durante uns minutos sobre o que acho do defice economico, com especial incidencia nas industrias tecnico-biologicas". Nao tenho paciencia.
Nao tinha. Que isto de ser emigrante tem destas coisas.
Hoje o tema e o jogo com a Franca. E porque tanto adverbio? E porque tantas palavras que, nao acrescentando nada, so fazem cocegas ao que realmente se quer dizer?Tanto sinonimo rebuscado,tanta metafora,analogia e tiro no gramatica?
Sejamos mais primarios nas palavras. Sejamos mais directos nos discursos. Sejamos mais, divagando menos.